sexta-feira, 17 de agosto de 2018

LIVRO:PENA DE MANDARIM : PEÇA A PROCURA DE EMPREGO

A PROCURA DE EMPREGO
AUTOR: MICHEL VINAVER
TRADUÇÃO E DIREÇÃO: JEAN-CLAUDE BERNARDET E RUBENS REWALD
TEATRO SESC-SANTO AMARO- 2018

A PEÇA FOI ESCRITA EM 1970, DOIS ANOS APÓS AS AGITAÇÕES ESTUDANTIS DE 1968, QUE OCORRERAM TANTO EM PARIS, COMO NO RESTO DO MUNDO, CONTRA O STATUS CAPITALISTA VIGENTE E OS ULTRAPASSADOS COSTUMES SOCIAIS. FOI TAMBÉM A ÉPOCA DO AMOR LIVRE, DOS HIPPIES E DO ESPETÁCULO MUSICAL HAIR QUE MARCOU UMA ERA, ENTRE OS JOVENS, DE PROTESTOS CONTRA A LAVAGEM CEREBRAL POLÍTICA E MILITAR.
A PROCURA DE UM EMPREGO POSSUI UM TEXTO BASTANTE SIMPLES E REALISTA QUE FALA SOBRE AS CONVENÇÕES FALIDAS, O CONSUMO EXAGERADO, OS RITMOS ALUCINANTES DA NECESSIDADE DE PRODUÇÃO, OS ACONTECIMENTOS QUE SUFOCAM A NATURALIDADE DO VIVER.
PARA ISSO, COMPÕE UMA FAMÍLIA DE TRÊS PESSOAS: PAI, MÃE E FILHA ADOLESCENTE. O PAI, EX-GERENTE DE EMPRESA, ESTÁ DESEMPREGADO E PRECISA FAZER UMA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO PARA OBTER NOVO EMPREGO. É QUANDO SURGE A QUARTA PERSONAGEM, UMA PROFISSIONAL DE RELAÇÕES PÚBLICAS, DE UMA FIRMA DE TURISMO, QUE OFERECE UMA VAGA DE TRABALHO. ESTA PROFISSIONAL, EXTREMAMENTE RÍGIDA, FAZ UM VERDADEIRO INQUÉRITO SOBRE O PRETENDENTE E AÍ COMEÇA A AÇÃO.
PARA SABER SE O CANDIDATO SERIA DE INTERESSE AO QUE NECESSITA, O CERCA DE PERGUNTAS E FATOS OCORRIDOS EM SUA VIDA, EXPLORANDO TODAS AS POSSIBILIDADES DE SUAS RESPOSTAS, AS MAIS ÍNTIMAS, AS MAIS INTROSPECTIVAS, AS MAIS INVASIVAS, NÃO APENAS SOBRE O SEU PASSADO PROFISSIONAL, MAS TAMBÉM OS DA SUA EXISTÊNCIA PESSOAL. AO MESMO TEMPO QUE A ENTREVISTA VAI SE DESENVOLVENDO VÃO SE DESCOBRINDO CONFLITOS FAMILIARES. A ESPOSA, UMA DONA DE CASA, ALÉM DA PERDA DO SEGURO DE VIDA, PELO DESEMPREGO DO MARIDO, TEM GRANDE PROBLEMA NA FALTA DE COMUNICAÇÃO COM A FILHA. ESTA É UMA ESTUDANTE QUE SE UNE A GRUPOS ATIVISTAS CONTRA O GOVERNO, NAMORA UM RAPAZ NEGRO, VENDEDOR DE DROGAS E ESTÁ ESPERANDO UM FILHO. (OU SEJA, A ANTÍTESE, NA ÉPOCA, DO QUE SERIA UMA BOA FILHA DE FAMÍLIA).  SEU DIÁLOGO COM ELA É QUASE NULO O QUE A AMARGURA. E RECORRE AO MARIDO SEMPRE QUE DESEJA TER UMA SÉRIA CONVERSA MATERNAL. OS PAIS QUEREM LEVAR A GAROTA A LONDRES PARA FAZER UM ABORTO, PORQUE NA FRANÇA, ISSO ERA PROIBIDO. A MENINA NÃO QUER. DESEJA TER A CRIANÇA E DEPOIS DOÁ-LA PARA ADOÇÃO. MAS ACABA CEDENDO E INTERESSA-SE EM CONHECER A CIDADE INGLESA. AOS POUCOS MANIFESTA-SE, TAMBÉM, NO TEXTO, A DOR E CULPA DA PERDA DE UM FILHO NUM ACIDENTE DE CARRO, DIRIGIDO PELO PAI.
OS FATOS VÃO SENDO REVELADOS JUNTO À A ENTREVISTA.
A PROFISSIONAL CONTINUA A MASSACRAR O CANDIDATO COM PERGUNTAS IMPERTINENTES E CONFUSAS, TAIS COMO O QUE ELE DESEJA DA VIDA, O QUE MELHOR FARIA NESTE EMPREGO, QUE CAPACIDADE TEM DE OBTER O QUE QUER, NO QUE ERROU? QUER VERIFICAR ATÉ QUE PONTO ELE RESISTIRÁ, EMOCIONALMENTE, ÀS QUESTÕES. A TRAMA, ENTRE MOMENTOS DE LUCIDEZ E DE ALGUNS DELÍRIOS, RESUME-SE EM QUE A ESPOSA CONSEGUE OBTER UM EMPREGO (À REVELIA DO MARIDO), A FILHA DEIXA O NAMORADO E O PAI TEM 50% DE CHANCES DE SER OU NÃO, CONTRATADO. E ASSIM TERMINA.
O QUE SURPREENDE NESTE TEXTO DE HISTÓRIA COMUM, É A INTERESSANTE FORMA DE SUA NARRATIVA SEM UM ESQUEMA NORMAL DE CONTINUIDADE DOS ATOS. COM FALAS ENTRELAÇADAS QUE ÀS VEZES SE CRUZAM DENTRO DO CONTEXTO, OUTRAS NÃO, EXIBE LINGUAGEM TEATRAL DESCONSTRUÍDA, COM TEMPOS SUPERPOSTOS (PASSADO, PRESENTE E FUTURO), SEM PAUSA NA AÇÃO. OS QUATRO ATORES EM CENA ATUAM AO MESMO TEMPO, CADA UM COM A SUA FALA TENDO CONTINUIDADE PARA SI, MAS NÃO PARA OS OUTROS MEMBROS DO ELENCO. CADA PERSONAGEM DESENVOLVE O SEU TEXTO DE MANEIRA PESSOAL, COM ASSUNTOS QUE REPRESENTAM O PRESENTE MOMENTO EM QUE ESTÃO ATUANDO, FATOS DE SUA VIVÊNCIA PESSOAL E AS POSSIBILIDADES DO QUE TERÃO PELA FRENTE. AS REVELAÇÕES, SEM UMA PONTUAÇÃO CLARA, VIVENDO DIFERENTES ÉPOCAS DA VIDA DESSA FAMÍLIA, ME LEMBROU, UM POUCO, A ESTRUTURA DE NARRATIVA DO LIVRO ULISSES, DO JAMES JOYCE.
DE ACORDO COM A OPINIÃO DO TRADUTOR E DIRETOR DA PEÇA, JEAN CLAUDE BERNARDET:
”... É COMO SE O DRAMATURGO TIVESSE RECORTADO OS DIÁLOGOS EM TIRAS E JOGADO TUDO PARA CIMA. E, DEPOIS, APANHADO AO ACASO OS PAPÉIS DO CHÃO, JUNTANDO TODOS, FORMANDO O TEXTO”...   
ESSA APRESENTAÇÃO EXIGE UMA ATENÇÃO MUITO GRANDE DO ESPECTADOR, POIS QUALQUER PERDA DE UMA FALA PODE CAUSAR UM ROMPIMENTO NO ENTENDIMENTO GERAL. PARA OS ATORES DEVE TER SIDO UM DESAFIO ENORME REPRESENTÁ-LA PORQUE NÃO HÁ A DEIXA COMUM DOS TEXTOS TEATRAIS NO QUAL A FALA DE UM ATOR SE AJUSTA NO TÉRMINO DA FALA DO OUTRO, DANDO A SEQUÊNCIA. AQUI, TODOS FALAM PARA SI MESMO, MAS, TÊM QUE SABER A MARCAÇÃO NECESSÁRIA, PARA COMEÇAR SEU DESEMPENHO SEM CHOCAR-SE COM O DO OUTRO. A ENCENAÇÃO, COMPOSTA POR TRINTA CENAS ENUMERADAS PELA SONOPLASTIA, É REALIZADA DENTRO DE UM ESPAÇO QUADRADO, MARCADO NO CHÃO POR UMA FITA BRANCA. NÃO HÁ CENÁRIOS E OS FIGURINOS CONSTITUEM-SE DE ROUPAS SIMPLES,COM CORES NEUTRAS, NUMA INTELIGENTE PROPOSTA DE NÃO CAUSAR DISTRAÇÃO EM RELAÇÃO AO TEXTO (OU SEJA, NÃO CHAMAR A ATENÇÃO).
OS ATORES ESTÃO EXCELENTES, DEMONSTRANDO GRANDE COMPETÊNCIA, NA REPRESENTAÇÃO DE UM TEXTO DIFÍCIL E DIFERENTE.
ÚNICOS PONTOS QUE CONSIDEREI QUE PODERIAM SER MELHORADOS FORAM EM RELAÇÃO À DIREÇÃO.
-QUATRO ATORES FALANDO QUASE AO MESMO TEMPO, SEMPRE SE DESTACARÁ A FALA DO QUE TIVER MELHOR DICÇÃO E MAIOR VOLUME DE VOZ. POR ESSA RAZÃO, PARTE DO QUE É DITO NÃO É OUVIDO. DEVERIA HAVER SOM, OU INDIVIDUAL OU UM “BOOM” CENTRAL, PARA QUE ASSISTÊNCIA OUVISSE CLARAMENTE.
-A PERSONAGEM ADOLESCENTE ANDA DEMAIS ENTRE OS ATORES, MEIO RINDO, MEIO IRREVERENTE E QUANDO PARA FICA ENCARANDO UMA PESSOA DO PÚBLICO, (NO CASO, ALGUMAS VEZES COMIGO), O QUE CAUSA INTERFERÊNCIA NO ENTENDIMENTO DAS OUTRAS FALAS, QUE PROSSEGUEM ININTERRUPTAS.
-NUMA MARCAÇÃO, PARA MIM ERRADA, O PERSONAGEM PATERNO VAI REPRESENTAR NO MEIO DA PLATEIA, O QUE FEZ COM QUE SE PERDESSEM MAIS FALAS. NA VERDADE, ESSA MARCAÇÃO DE SAIR DO CENTRO DO QUADRADO CERCADO PELA FITA BRANCA É GENIAL, PORQUE QUANDO A ENTREVISTADORA PERGUNTA O QUE ELE QUER, O PAI RASGA PARTE DA FITA DO CHÃO E SAI DO PALCO, OU SEJA, ELE QUER A LIBERDADE DA SOCIEDADE QUE O SUFOCA.
MAS, NA MINHA OPINIÃO, NÃO PRECISAVA TER IDO PARA A PLATEIA E FICAR, PARCIALMENTE, INAUDÍVEL.
COMO SEMPRE REPITO EM CONSIDERAÇÕES SOBRE PEÇAS TEATRAIS, QUE FAÇO, CADA DIRETOR DEVERIA IR SENTAR-SE JUNTO AO PÚBLICO, SENTIR-SE ESPECTADOR E COMPREENDER MELHOR POSSÍVEIS DIFICULDADES SOBRE A ENCENAÇÃO. 
A PROCURA DE EMPREGO É UMA PEÇA DE COMPOSIÇÃO DE TEXTO MAGNÍFICA E FOI UMA DAS MAIS INTERESSANTES OBRAS TEATRAIS QUE ASSISTI NOS ÚLTIMOS TEMPOS.


SOBRE O AUTOR: MICHEL VINAVER


NASCIDO EM PARIS (FR) EM 1927, ESCREVEU A PRIMEIRA PEÇA PROFISSIONAL AOS 20 ANOS. LOGO DE DESTACOU NO MEIO TEATRAL FRANCÊS PELA ESCRITA DIFERENTE. SEUS TEMAS, DE MANEIRA GERAL, SEMPRE EXPÕEM O DESCONTENTAMENTO COM OS RUMOS DOS ACONTECIMENTOS SUBMISSOS AO ESTADO E O CONTENTAMENTO PESSOAL DOMINADO PELA IMPOSIÇÃO DO CONSUMO.
ESSA ATITUDE LHE POSSIBILITOU INSPIRAÇÕES DIVERSAS DAS CONVENÇÕES SOCIAIS, COM CRÍTICAS AS OPRESSÕES EXISTENTES AO SER HUMANO E A NECESSIDADE DE UMA MUDANÇA DE MENTALIDADE.
RECEBEU O GRANDE PRÊMIO DE TEATRO DA ACADEMIA FRANCESA PELO CONJUNTO DE SUA OBRA, ENTRE AS QUAIS SE DESTACAM:
OS COREANOS; OS DISSIDENTES; O PROGRAMA DE TELEVISÃO;11 DE SETEMBRO DE 2001. SUA PEÇA MAIS CONHECIDA E ENCENADA PELO MUNDO É A PROCURA DE EMPREGO.

terça-feira, 3 de julho de 2018

LIVRO PENA DE MANDARIM: SINA

CADA UM TEM A SINA
QUE O ACASO DETERMINA.
DE DOR OU PRAZER,
NÃO SE CONSEGUE ENTENDER
POIS, NÃO SE TEVE O ARBÍTRIO
DE ESCOLHER.
INDUZEM O TEMPERAMENTO,
REFLETEM-SE NO COMPORTAMENTO
E OBRIGAM SUA CONVIVÊNCIA
POR TODA A EXISTÊNCIA.

LIVRO PENA DE MANDARIM: POR PRAZER?!

 UMA PESSOA NEGATIVA!
 QUE MOTIVO A INCENTIVA
 SER TÃO RESTRITIVA
 EM SIMPATIA, AMABILIDADES,
 MESMO EM EDUCAÇÃO?
 FRUSTRAÇÃO,
 COMPLEXOS,
 AMARGURAS?
 QUE DOR A OBRIGA,
 COM RANCOR
 MANTER ESSA POSTURA
 QUE A ELA E AOS OUTROS
 CAUSA CONTRARIEDADES?
 NÃO SE LIBERTA DE UM SOFRER
 E AGE CONTRA O QUE CONVIVER.
 SERIA MALDADE CAUSADA POR
 POR SUAS INFELICIDADES ...
 OU SERIA POR PRAZER?

LIVRO PENA DE MANDARIM: TORTA E SEM MAÇÃ

NO FLUXO OBSCURO,
TINHA UMA PORTA.
TINHA UMA PORTA
NUM RUMO INSEGURO,
PARA MIM TRANCADA.

NO MEU EXCLUO
NÃO PERCEBI QUÃO ESCURO.
SOFRI UMA PANCADA
QUE DEIXOU A ALMA TORTA.

SEGUI UMA TRILHA ERRADA,
COMO INDEFESA PRESA
DE UMA IDEIA EQUIVOCADA.

O QUE, AGORA, IMPORTA,
FOI O TEMPO EMPREENDER
ME AUXILIAR APRENDER
QUE PORTA NA CARA, CORTA.






sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

LIVRO PENA DE MANDARIM : A VENDA DA PIETÀ

LIVRO: MERCADORES DE ARTE
AUTORES: DANIEL WILDENSTEIN
                     IVES STAVRIDÈS
EDITORA PLANETA – 2004


ESTE LIVRO CHEGOU-ME BASTANTE ATRASADO, POIS SÓ AGORA TOMEI CONHECIMENTO. SENDO SOBRE A ARTE E SEU MERCADO, LOGO, ME INTERESSOU. NARRA A HISTÓRIA DA FAMOSA FAMÍLIA DE NEGOCIANTES DE ARTES, OS WILDENSTEIN, QUE SE INICIARAM COMO EMPRESA NO FINAL DO SÉCULO 19, NA FRANÇA, COM O AVÔ, NATHAN, CONTINUANDO COM O FILHO, GEORGES E O NETO DANIEL (AUTOR DESTE LIVRO).
PELAS MÃOS DESSES ESPECIALISTAS, PASSARAM OS MAIS IMPORTANTES ARTISTAS PLÁSTICOS DESDE OS DA ANTIGUIDADE ATÉ OS DA ATUALIDADE. ISTO SIGNIFICA QUE CERCA DE SEIS SÉCULOS DE PINTURA, ESCULTURA E DOCUMENTOS RAROS FORAM COMERCIALIZADOS POR ELES.
ALÉM DA FRANÇA, A CASA WILDENSTEIN INAUGUROU FILIAIS EM LONDRES E NOVA YORK. PASSOU POR FASES MUITO LUCRATIVAS E OUTRAS DIFÍCEIS, PRINCIPALMENTE NA ÉPOCA DO NAZISMO, QUANDO TEVE SUAS OBRAS, NA FRANÇA, CONFISCADAS.
MAS SOBREVIVEU, PRINCIPALMENTE NO MERCADO NORTE- AMERICANO, AONDE OS MUSEUS E OS MILIONÁRIOS NÃO SE IMPORTAVAM EM PAGAR MUITO PELO QUE REALMENTE FOSSE DE GRANDE CATEGORIA. E ISSO ESSES “MARCHANDS” SEMPRE TIVERAM, PORQUE, APÓS A FAMA, ERAM PROCURADOS POR FAMÍLIAS RICAS E NOBRES QUE DESEJAVAM VENDER SUAS PRECIOSIDADES. MESMO NOS MAUS MOMENTOS, MESMO ENDIVIDANDO-SE, JAMAIS SE PERMITIRAM BAIXAR O NÍVEL DE QUALIDADE DAS PEÇAS.
O TEMA DO LIVRO NÃO DEIXA DE SER A BIOGRAFIA DE TODOS ELES, PRINCIPALMENTE A DO AUTOR. EM ALGUNS MOMENTOS É MAIS INTERESSANTE E EM OUTROS, MENOS.
COMO NÃO SERIA POSSÍVEL DESCREVER TODOS OS ARTISTAS QUE FORAM COMERCIALIZADOS, BASTA DIZER QUE DESDE DESENHOS DE LEONARDO DA VINCI ATÉ DE ANDY WARHOL RECEBERAM A ATENÇÃO DA FAMÍLIA. E ELES SE ENQUADRAM, HOJE, NO QUE SE CONSIDERA O TOPO DA ELITE DOS MERCADORES DE ARTE DOS SÉCULOS 19 E 20. VENDERAM OBRAS PARA ARTISTAS DO CINEMA, PARA POLÍTICOS, PARA NOBRES E PARA A REALEZA.                                   
DENTRE OS FATOS DESCRITOS, A MAIORIA ME INTERESSOU, MAS, QUERO SALIENTAR TRÊS, QUE PRENDERAM MAIS A MINHA ATENÇÃO:
O PRIMEIRO DIZ RESPEITO AO ARTISTA PABLO PICASSO.
EU SEMPRE TIVE A OPINIÃO QUE ESSE ARTISTA INTRODUTOR DO CUBISMO E GENIAL EM TANTA OBRA QUE ADMIRO, FEZ “ARTES” QUE SE FOSSEM JOGADAS FORA OU QUEIMADAS, SÓ ENGRANDECERIAM SUA FAMA. TODA VEZ QUE EXPRESSEI ESSA OPINIÃO, MUITOS FORAM CONTRA, DIZENDO QUE EU APENAS NÃO TINHA COMPREENDIDO A OBRA. FIQUEI CONTENTE EM LER NO LIVRO, QUE O AVÔ NATHAN E O FILHO GEORGES, ÍNTIMOS DE PICASSO, PEDIAM QUE ELE PARASSE DE FAZER TELAS DE CAÇOADAS PARA NOVOS RICOS, QUE NADA ENTENDIAM E COMPRAVAM QUALQUER COISA, POR ELE, ASSINADA.

OS WILDENSTEIN ACHAVAM QUE ISSO PREJUDICARIA UMA CARREIRA TÃO IMPORTANTE E TÃO SIGNIFICATIVA PARA A HISTÓRIA DA ARTE. MAS, PICASSO, FELIZ COM O DINHEIRO FÁCIL, NÃO DEU OUVIDOS.
O SEGUNDO, FOI SOBRE UMA CONSULTA A UM DESENHO DE LEONARDO DA VINCI, NA COLEÇÃO REAL INGLESA, PARA COMPARAÇÃO SOBRE PAPEL E TINTA, COM OUTRO, DE UM COLECIONADOR QUE O COLOCARA À VENDA. COMO ERA ÍNTIMO DA NOBREZA, O AUTOR FOI RECEBIDO, NA ÉPOCA, PELO ATUAL PRÍNCIPE CHARLES, NO CASTELO DE BALMORAL, NA ESCÓCIA, AONDE FEZ SUA PESQUISA. AO VISITAR OS ENORMES PORÕES DO CASTELO, AONDE ESTÃO GUARDADAS MUITAS PRECIOSIDADES, VIU DIVERSAS E ENORMES CAIXAS, SEGUNDO ELE: “DO TAMANHO DO MEU ESCRITÓRIO”. PERGUNTANDO AO PRÍNCIPE, SOUBE QUE ERAM “AS CAIXAS DA RÚSSIA”, MANDADAS PELO CZAR NICOLAU II, QUANDO, PREVENDO QUE A REVOLUÇÃO SOCIALISTA IA VENCER, ENVIOU PARA A INGLATERRA, EM TEMPO, INÚMERAS RIQUEZAS, ESPERANDO USUFRUI-LAS, POIS, ACREDITAVA SER EXILADO E NÃO ASSASSINADO.

O COMERCIANTE FICOU IMAGINANDO QUE “MARAVILHAS” PODERIAM CONTER TODAS AS CAIXAS E CONSIDEROU (CONSIGO MESMO) QUE ELAS DEVERIAM VOLTAR AO POVO RUSSO, COMO SEU LEGÍTIMO PATRIMÔNIO. NÃO SEI SE VOLTARAM OU CONTINUAM COM OS INGLESES.
MAS O CASO MAIS CURIOSO QUE LI E QUE DÁ TÍTULO A ESTE COMENTÁRIO FOI SOBRE O PAPA PAULO VI. ESTE PRELADO, DESDE ARCEBISPO EM MILÃO, CONTINUAMENTE LUTOU A FAVOR DOS POBRES. COMO PAPA, SENTIA-SE AGONIADO COM A MISÉRIA QUE IMPERAVA NO TERCEIRO MUNDO (ISSO NA DÉCADA DE 1960) E SOLICITOU A PRESENÇA DE DANIEL WILDENSTEIN, NO VATICANO, PARA UMA CONVERSA.

NA SUA BONDADE E INGENUIDADE, O PONTÍFICE, INCOMODADO COM TANTA RIQUEZA EM ARTE, NO VATICANO, DESEJAVA SABER QUE PREÇO PODERIA OBTER A VENDA DA PIETÀ, DE MICHELANGELO, PARA PODER DISTRIBUIR O DINHEIRO AOS POBRES.
O NEGOCIANTE, MUITO SURPRESO, CONSEGUIU CONVENCER O PAPA QUE POR MAIS DINHEIRO QUE A PIETÀ RENDESSE E MESMO QUE FOSSE DISPUTADA PELOS MAIS IMPORTANTES MUSEUS OU PELOS GRANDES MILIONÁRIOS, JAMAIS COBRIRIA AS NECESSIDADES DA FOME DO MUNDO. O PAPA ARGUMENTOU QUE ESSE SERIA UM COMEÇO, MUITAS OUTRAS OBRAS PODERIAM TER O MESMO DESTINO. MAS, A OPINIÃO DO COMERCIANTE PREVALECEU, POIS, O DINHEIRO, COM O TEMPO, ACABARIA E A MISÉRIA NÃO.
E EU ACREDITO QUE NÃO SÓ A CÚRIA DO VATICANO, MAS, TODA A POPULAÇÃO DA ITÁLIA, JAMAIS PERMITIRIA QUE A PIETÀ SAÍSSE DO PAÍS.
COMO TODOS SABEMOS, A POBREZA NO MUNDO NÃO SERÁ RESOLVIDA SOMENTE POR ATOS DE CARIDADE. É UMA AÇÃO CONJUNTA DE POLÍTICA ECONÔMICA E SOCIAL QUE DÊ OPORTUNIDADE DE EMPREGOS. LEMBRO AQUI O EXEMPLO DO MILIONÁRIO BILL GATES QUE DOOU MILHÕES DE DÓLARES PARA COMBATER A AIDS, NA ÁFRICA, E O PRESIDENTE DO PAÍS QUE RECEBEU O DINHEIRO O USOU PARA COMPRAR ARMAS E COMBATER O PAÍS VIZINHO.
A BONDADE DE PAULO VI DIMINUIRIA, MOMENTANEAMENTE, A POBREZA DE ALGUM LOCAL ESPECÍFICO, MAS NUNCA A ELIMINARIA. O AUTOR SUGERIU AO PAPA QUE MUITAS OBRAS DE ARTE, DO VATICANO, PODERIAM PERCORRER OS MUSEUS DO MUNDO E ANGARIAR FUNDOS. MAS, A IDEIA NÃO VINGOU PORQUE PAULO VI ADOECEU E ACABOU MORRENDO.

ENFIM, O LIVRO, COMO JÁ DISSE, TEM MOMENTOS INTERESSANTES, VIVIDOS POR PERSONALIDADES COMO O PRESIDENTE FRANCÊS CLEMENCEAU, O MINISTRO DA CULTURA DA FRANÇA ANDRÈ MALRAUX, MILIONÁRIOS COMO RANDOLPH HEARST, MAURICE ROTHSCHILD E OUTROS.
ALÉM DISSO, CONTA FATOS MUITO GOSTOSOS DE LER SOBRE OS MAIS VARIADOS ARTISTAS DE DIFERENTES ÉPOCAS. MAS, COMO SÃO MUITOS, AOS INTERESSADOS, RECOMENDO SUA LEITURA.













                                                                                                            



                                                                                                                  












segunda-feira, 13 de novembro de 2017

LIVRO PENA DE MANDARIM: ORIGEM


LIVRO: ORIGEM
AUTOR: DAN BROWN
EDITORA ARQUEIRO
2017

COMO SEUS ANTERIORES ROMANCES DE INVESTIGAÇÃO, PERMEANDO REALIDADE E FICÇÃO EM FATOS MISTERIOSOS QUE INSTIGAM NOSSO CONSCIENTE, O AUTOR, NESTE LIVRO ORIGEM, ABORDA A QUESTÃO PRIMORDIAL DA HUMANIDADE, O SEGREDO JAMAIS REVELADO: QUEM SOMOS? DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS?
O PERSONAGEM PRINCIPAL DO LIVRO, É O BILIONÁRIO NORTE-AMERICANO EDMOND KIRSCH, NOTÁVEL CIENTISTA DA INFORMÁTICA, CRIADOR DE ULTRA SOFISTICADOS SOFTWARES PARA QUE COMPUTADORES SE TORNEM PARTE DA HUMANIDADE.
ATEU, QUER PROVAR QUE DEUS NÃO EXISTE. TODA RELIGIÃO É UMA ILUSÃO, BASEADA EM TEORIAS INVENTADAS PELAS IGREJAS, QUE NUNCA FORAM PROVADAS E SUBSISTEM HÁ MILHARES DE ANOS PELA NECESSIDADE DE CRER-SE EM ALGO SUPERIOR, MAIOR DO QUE NÓS, QUE DÊ SIGNIFICADO À NOSSA EXISTÊNCIA INCOMPREENSÍVEL, QUE SEJA UM AMPARO AS AFLIÇÕES E ALIVIE A IGNORÂNCIA DE NÃO SABERMOS PORQUE O UNIVERSO EXISTE. SABEMOS COMO, MAS, NÃO PORQUE.
ESSE GRANDE CIENTISTA DESEJA COMUNICAR À HUMANIDADE, CONFORME SUAS TEORIAS, QUE A VIDA, NA TERRA, SURGIU ESPONTANEAMENTE, NUMA COMBINAÇÃO DE ELEMENTOS QUÍMICOS, VINDOS DO ESPAÇO ATRAVÉS DOS METEOROS QUE, NO MAR, TERIAM DESENVOLVIDOS MOLÉCULAS, PELA ENERGIA DO ENORME CALOR DOS PRIMÓRDIOS, QUANDO A TERRA ERA CONSTITUÍDA DE TEMPESTADES DE RAIOS. PARA TANTO, MONTA UM ENORME SHOW, NO MUSEU GUGGENHEIM DE BILBAO, NA ESPANHA, AONDE ANUNCIARÁ, A MILHÕES DE TELESPECTADORES A RESPOSTA PARA A NOSSA ORIGEM. OS CONVIDADOS SÃO ESPECIAIS, ENTRE OS QUAIS O PRINCIPAL É SEU GRANDE AMIGO E ANTIGO PROFESSOR DE SIMBOLOGIA EM HARVARD (USA), ROBERT LANGDON, QUE TERÁ, AO LADO DA PERSONAGEM AMBRA VIDAL, DIRETORA DO MUSEU, E NOIVA DO PRÍNCIPE HERDEIRO DA ESPANHA, PAPEL FUNDAMENTAL NO DESENVOLVIMENTO DA TRAMA. ANTES DE FALAR AO MUNDO, O CIENTISTA CONVERSA COM OS LÍDERES DAS RELIGIÕES CRISTÃ, ISRAELITA E ISLÂMICA, EXPONDO SEU INTENTO, O QUE CAUSA HORROR AOS RELIGIOSOS, QUE PENSAM IMPEDIR ESSA REVELAÇÃO QUE ABALARÁ A FÉ E TRARÁ ENORME CONSEQUÊNCIAS SOCIAIS. NA NOITE DO GRANDE ANÚNCIO, A ASSISTÊNCIA, PELA TELEVISÃO E PELA INTERNET, CUJA PROPAGANDA PREVIAMENTE HAVIA SIDO FEITA, É A MAIOR JÁ VERIFICADA, COM BILHÕES DE TELESPECTADORES INTERESSADOS.                                   
O PROFESSOR ROBERT RECEBE UM FONE ESPECIAL COM COMUNICAÇÃO COM UM COMPUTADOR CUJO NOME É WISTON, CRIADO PARA SER O SECRETÁRIO PESSOAL DO BILIONÁRIO E QUE ORIENTARÁ O PROFESSOR, NÃO SÓ PELA NOITE, MAS, POR TODA A HISTÓRIA, TENDO, TAMBÉM, PARTE FUNDAMENTAL.
APÓS GRANDES EFEITOS DE APRESENTAÇÃO, EXPLICAÇÕES E DEMONSTRAÇÕES, QUANDO EDMOND VAI INICIAR SUA REVELAÇÃO, É IMPEDIDO POR UM ATENTADO. GRANDE CAOS SE ESTABELECE. O PROFESSOR ROBERT E A DIRETORA AMBRA, APÓS ENORMES COMPLICAÇÕES CONSEGUEM DEIXAR O AMBIENTE. AFLITOS, DECIDEM DAR CONTINUIDADE À DESCOBERTA DO CIENTISTA PARA COMUNICÁ-LA AO PLANETA, EM HONRA À SUA PESQUISA. COMO EDMOND MORAVA NA CASA MILÁ, CONSTRUÇÃO DO FAMOSO ARQUITETO SURREALISTA ANTONIN GAUDÍ, EM BARCELONA, E HAVIA MONTADO UMA VERDADEIRA FORTALEZA DE COMPUTAÇÃO, NA CIDADE, ELES PARTEM PARA LÁ, NA TENTATIVA DE DESCOBRIR O QUE SERIA COMUNICADO. SEMPRE AUXILIADOS PELO FIEL SECRETÁRIO ELETRÔNICO WISTON CHEGAM AO REDUTO DO CIENTISTA. FICAM ADMIRADOS COM A ENORME REDE DE COMPUTADORES DE NOVA GERAÇÃO CRIADOS POR EDMOND, QUE, QUANDO CONHECIDOS, IRÃO ASSOMBRAR O MUNDO. APÓS INÚMERAS TENTATIVAS, CONSEGUEM DESVENDAR A SENHA DO PRINCIPAL E CONHECEM O SEGREDO QUE SERIA ANUNCIADO.
NA VIDA REAL, NA DÉCADA DE 1950, OS QUÍMICOS BIO-CIENTISTAS STANLEY MILLER E HAROLD UREY FIZERAM A PESQUISA DE SIMULAR A CRIAÇÃO DE MOLÉCULAS, PELOS MESMOS PRINCÍPIOS DA SUPOSTA CRIAÇÃO DA VIDA, COM FOGO E CALOR, SEM A PARTICIPAÇÃO DA CENTELHA DIVINA. MAS DEPOIS DE MESES A TENTATIVA MOSTROU-SE INEFICAZ.
NA FICÇÃO DO LIVRO, EDMOND KIRSCH DESENVOLVE SEU TRABALHO A PARTIR DESSA IDEIA, APENAS AUMENTANDO A ENERGIA ATÔMICA NECESSÁRIA, ATUALMENTE POSSÍVEL GRAÇAS AOS AVANÇOS DA CIÊNCIA, O QUE PERMITIU A CRIAÇÃO DOS PRIMEIROS SINAIS DE VIDA.
E ASSIM, PODERIA NEGAR A PARTICIPAÇÃO DE DEUS.
CONTINUANDO A REVELAÇÃO, ELE PROVA QUE NO FUTURO, COM O AVANÇO TOTAL DA TECNOLOGIA E DO HOMEM BIÔNICO, O SER HUMANO DESAPARECERÁ, DANDO LUGAR A UM NOVO SER: O TECHNIUM, NASCIDO DA SIMBIOSE ENTRE O HOMO SAPIENS E A TECNOLOGIA, NUMA FUSÃO BIOLÓGICA. PARA ELE, EM 50 ANOS, AS FERRAMENTAS QUE VIVEM FORA DO CORPO HUMANO TAIS COMO APARELHOS DE AUDIÇÃO, IMPLANTAÇÃO DE CRISTAIS NA VISÃO, BRAÇOS E PERNAS MECÂNICAS, ÓRGÃO INTERNOS ARTIFICIAIS SOMADOS AO AVANÇO DA ENGENHARIA MOLECULAR, DA CRIOGENIA, DA INTELIGÊNCIA SINTÉTICA, MUDARÃO O QUE SIGNIFICA, HOJE, SER HUMANO. E PARA MELHOR. A TECNOLOGIA SERIA BARATA E TÃO DISSEMINADA QUE NÃO HAVERIA RICOS E POBRES.                              
O PROFESSOR E AMBRA DIVULGAM ISSO À HUMANIDADE, PARA MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES, POR TODAS AS REDES SOCIAIS.
MOSTRAM QUE O TRABALHO DO CIENTISTA, INDEPENDENTE DE DEUS OU NÃO, TERÁ UM FIM BENÉFICO PARA O HOMEM, OU SEJA, O TECHNIUM SOBREVIVERÁ, DE UMA MANEIRA MAIS DIGNA, PELA TECNOLOGIA, AOS MALES CAUSADOS PELA VIDA. PASSARIA A HAVER MAIS IGUALDADE ENTRE OS NOVOS SERES
SEM PRECISAREM DISPUTAR AS PRÓPRIAS NECESSIDADES.
APÓS A TRANSMISSÃO, MILHARES DE RESPOSTAS ECOAM PELO MUNDO, CONTRÁRIAS E A FAVOR, COM OS RELIGIOSOS SEMPRE DIZENDO QUE SEJA QUAL FOR A MANEIRA, O INÍCIO DA PRIMEIRA REAÇÃO QUÍMICA SE REALIZOU COM ELEMENTOS DO UNIVERSO, CRIADO POR ALGUÉM SUPERIOR, NO CASO, DEUS.
TAREFA CUMPRIDA, AMBRA E O PROFESSOR SE DESPEDEM, SEGUINDO CADA UM SEU CAMINHO: O DELE, A VIDA ACADÊMICA. O DELA: SER RAINHA.

COMENTÁRIOS:
TODA A HISTÓRIA SE DESENVOLVE PELOS MEANDROS DE LUGARES MISTERIOSOS E TENEBROSOS, TÍPICOS DO AUTOR. AQUI, ESPECIALMENTE, PELAS TORRES DA IGREJA SAGRADA FAMÍLIA, EM BARCELONA, QUE COM TODA A SUA ARQUITETURA MONUMENTAL, AINDA NÃO TERMINADA, PERMITE CHARADAS A SEREM DESCOBERTAS COMO CHAVE DA SENHA DO CIENTISTA, AVENTURAS COM DIREITO A PERSEGUIÇÕES, AMEAÇAS E CRIMES.
COM TRAMA MAIS LÓGICA, NÃO CONTÉM OS ARROUBOS INVEROSSÍMEIS DO GRANDE SUCESSO CÓDIGO DA VINCI.
O INTERESSANTE A OBSERVAR É QUE ESSE LIVRO, EM CERTO SENTIDO, PARECE DAR CONTINUIDADE A IDEIA DO LIVRO HOMO DEUS (2015), DE YUVAL HARARI, AO AFIRMAR QUE NO FUTURO O HOMO SERÁ TÃO TECNOLÓGICO QUE PRESCINDIRÁ DE FORÇAS DIVINAS.
A DIFERENÇA É QUE O LIVRO DE HARARI É UM ESTUDO DAS NOVAS POSSIBILIDADES QUE CONSTITUIRÃO A HUMANIDADE. O DE DAN BROWN, BASEADO EM ALGUNS FATOS CIENTÍFICOS, É UMA FICÇÃO.


domingo, 12 de novembro de 2017

LIVRO: PENA DE MANDARIM - O PÁSSARO

MANDARIM!
UM PÁSSARO
QUE VEIO ATÉ MIM.
NÃO SABIA QUE EXISTIA.
CONHECI, PELA PRIMAVERA,
SEU CANTO QUE EXTASIA
E SUA IMAGEM SINGELA.                          
UM ENCANTO QUE REVELA
COMO A NATUREZA
CONCILIA BELEZAS.

A PLUMAGEM DAS AVES,
O FORMATO DAS FLORES,
O TOM DAS CORES ...
COM QUE MAJESTADE

ELA NOS EXIBE SUA PERFEIÇÃO.
COM QUE GENEROSIDADE
NOS CONVIDA À FASCINAÇÃO.